sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Contigo





Contigo aprendi que tenho asas
e posso voar mesmo através de nuvens cinzentas.
Aprendi que as palavras aprisionadas na garganta
se podem soltar e voar,
livres,
ao encontro de outras palavras,
e se pode cantar mesmo na noite mais escura.

Contigo aprendi ainda mais.
Que os olhos podem ter a cor da ternura,
e os beijos o sabor da loucura.

E que o amor é isto que se dá,
sem exigir nada em troca.



*

11 comentários:

Maria disse...

Resumindo: aprendeste a amar...
Belas as tuas palavras de amor, andorinha.

Um beijo

poetaeusou . . . disse...

*
É na troca das loucuras
Nas asas de uma flor
Que as palavras em procuras
Tentam cantar o amor,
,
amorosas brisas, te envio,
,
*

Duarte disse...

Na confluência de caminhos,
mais ou menos atribulados,
surge, como por arte de encanto,
o amor, sentimento forte; que
tudo consegue: até a dor!
Amando, a vida tem outra cor...

Um grande abraço, amiga.

Mariz disse...

É isso sim...
Sem exigir nada em troca! - é isso o Amor!

Muito suave e transparente o poema.
Parabéns
Mariz

Brancamar disse...

Muito lindo Andorinha! Quem sabe amar assim descobriu para sempre a felicidade.
Muitos beijinhos para ti.
Branca

Adriana disse...

Sublime e doce

~pi disse...

repito-me:

belo part o

belo belo pa r t o :)



~

Círculo Literário disse...

Andorinha, está tudo suave e belo, aprendeu a Amar intensamente , a se entregar por inteira ....Excelente!!!
Grande Abraço!!

Paulo [Intemporal] disse...

E porque o Amor é essencialmente partilha, O.B.R.I.G.A.D.O. por este belo poema partilhado aqui, neste canto onde o canto se acrescenta.

_______________________ Um Beijo.

Odilon disse...

Andorinha,

felizes aqueles que encontram mestres para aprender tudo o que descrevestes. E que guardam boas memórias, mesmo quando o tempo passou.

Beijos

Palavras sem rumo disse...

É assim o amor,dar tudo sem exigir,apesar de se querer muito
Beijos