segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Gotas




Deslizo as mãos pelo tempo
Recolho gotas
pequenas gotas
que guardo em mim

Momentos felizes
raios de sol
dias sem nuvens
presos na memória

Transformo passado
em presente
e vivo

liberta do meu destino


*

7 comentários:

. Paulo . Intemporal . disse...

. pelo tempo a ser o vapor que declina as vidraças .

. laças .

. "amei.de.amar" .

. beijos mil, sempre com total devoção e amizade .

. paulo .

Vieira Calado disse...

E o poema

também é um poema liberto!

Bom fim de semana!

Carla disse...

será liberdade viver o presente com as imagens do passado?
não sei...mas adorei as palavras
beijo e bom fds

Multiolhares disse...

Não sei se nos podemos libertar do passado, mas tornar o presente mais leve isso podemos fazer
beijinhos

Nilson Barcelli disse...

Para além da capacidade de síntese, também não te falta inteligência poética. Tenho de aprender mais contigo estes aspectos...
Considero este poema digno de ter sido escrito por um poeta de nomeada (não estou a exagerar, é o que sinto).
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

Duarte disse...

Expressão dum sentir.
Na aparência, profundo.
Que perdure no tempo,
numa felicidade absoluta.

Não ha nada como sentir-se libre de ataduras...

Beijinhos no reencontro

~pi disse...

voei de voar

des

alada e

nua,



beijo




~