quarta-feira, 13 de fevereiro de 2008

Noite


Da tempestade prevista
nem sinais.
Noite serena
cheiro a mar e a pinhais.
Da janela
vejo estrelas a brilhar
não há vento
só a brisa
nos permite respirar.
Doce silêncio profundo
cheio de esperanças
e ais
silêncio feito de vida
silêncio cheio de paz.


*Set.2002


.

10 comentários:

Maria disse...

Gosto destes teus silêncios na noite, andorinha....

Bejo

Fernando Rozano disse...

o silêncio...essencial e sensível em tua escrita. belíssimo. abraços e obrigado por tudo. abraços.

Brancamar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Brancamar disse...

Tão lindo o teu poema Andorinha! "Cheiro a mar e a pinhais", conjugação perfeita! O silêncio às vezes é vital e é mesmo feito de vida. Há silêncios que dizem tudo e o que descreves é um deles...
Também te venho dizer que é extremamente poético e lindo o que me confessaste hoje, tal como tu tenho saudades de uma presença cada vez mais longínqua, daí os meus versos e tudo tem também a ver com o Mar...
Nisso parece que temos muitas afinidades.
Podes ir sempre que quiseres admirar a capelinha do Sr. da Pedra, em Miramar, lá no meu sítio, mesmo que não comentes, para matares saudades. Só é pena que não se veja muito bem o mar lá ao fundo, mas vislumbra-se um pouquinho...
Muitos beijinhos.
Branca

multiolhares disse...

Existe silêncios que nos acalentam a alma

Beijinhos
luna

Adriana disse...

Maravilhoso!!!As vezes o silencio é fundamental.Bom dia!!

~pi disse...

serena mente

res pi rar

poetaeusou . . . disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
poetaeusou . . . disse...

*
mensagem standard
*
neste dia, recusa
o manto da solidão,
“ cobre-te de ti “
e sairás renovada(o)
,
in-poetaeusou
,
conchinhas
,
*

un dress disse...

silêncio grávido...