terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Nascente



É nos teus olhos
que a ternura se espraia
e nos teus dedos
que o afago se constrói.

É junto a ti
a nascente de um rio
onde a vida se torna força
e alegria.

É em ti que existo
e só por ti.



*

8 comentários:

Duarte disse...

É um orgulho pensar assim.
Entrega total nos afagos.
Ternura no pensar,
riqueza no agir.

Um abraço, na calidez da amizade

Vieira Calado disse...

Um poema de amor que tudo diz.

Bonita também a imagem.

Bjs

Maria disse...

Fonte. De amor.
É assim que te leio...

Beijo

Vieira Calado disse...

Só para dizer-lhe que há um outro poema meu
das "Causas de Habituação",
postado a meio de Dezembro último.

Bom fim de semana

lua prateada disse...

Passei correndo
Com xuva,vento e frio
Passei voando
Arrastada por um fio.

Não passei por nada
Apenas ,porque de mim emana
Grande amor por meus amigos
Passei desejando bm fim d semana.

Beijinho prateado com carinho

SOL

~pi disse...

bela s fonte s

( corrente

aZul ~

Brancamar disse...

Querida Andorinha,

Mais uma vez o amor aliado à frescura da água e das nascentes, por isso me agrada tanto a tua poesia tão natural, a brotar do fundo da alma.
Beijinho grande
Branca

poetaeusou . . . disse...

*
olhos de água,
na nascente do olhar,
,
conchinhas,
,
,
*