terça-feira, 22 de julho de 2008

Horizonte




Um poente nublado
apenas uma risca de luz no horizonte
ondas pequenas a morrer na praia deserta
maresia
e um enorme desejo de ti
aqui


.

10 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
da praia
revejo o poente
uma luz
no horizonte
que reluz
em ti . . . dolente,
,
conchinhas, deixo,
,
*

Multiolhares disse...

Quantas ondas se perdem no horizonte
Em desejo…

beijos

Fernando Rozano disse...

o horizonte distante, e o desejo próximo...lindo e denso poema. meu abraço.

~pi disse...

wish you

were

here



~~

Odilon disse...

E quando aqui estiveres, ah! quando aqui estiveres nos perderemos no horizonte, a risca de luz será a nossa guia para o infinito.

Maria disse...

tão simples
tão bonito
tão sensual
aqui...

beijos

Multiolhares disse...

deixo beijinhos

Carla disse...

...porque o mar é o leitgo de muitos desejos...
beijos

Duarte disse...

Andorinha, que bonito!
Gosto imenso de andorinhas. Retenho na imagem dum grupo de andorinhas a pentear-se sobre um fio da electricidade enquanto tomavam o sol. Para logo sair a voar nesses círculos tão sumamente acrobáticos que por vezes resultava difícil seguir tais movimentos.

Esta fotografia é única. Possivelmente não se repetirá. Encontrar-se com um momento assim é para capta-lo e divulgar-mo... Obrigado.

Rematas a obra com uns versos cálidos, que fez feliz, sem dúvida, a quem se deu por achado, neles.

Reconhecido, desde amigos de Portugal...

Morena disse...

Gostei de conhecer esse blog...voltarei mais vezes!
Parabens!