sábado, 25 de outubro de 2008

Fui ver o mar



Depois de ter estado contigo, fui ver o mar, essa imensidão só comparável aquilo que sinto quando estamos juntos.
Falei-lhe de ti. Disse-lhe que, de cada vez que chego, é sempre como se fosse a primeira. A mesma surpresa, o mesmo encantamento, a mesma dificuldade em voltar a afastar-me de ti. Sempre a mesma sensação de me encontrar fora do mundo. Mesmo sem te tocar, te sinto em todas as células do corpo.
Sei que o mar me entendeu. Agora, já posso ir para casa e entrar nas coisas comuns.



.

9 comentários:

Multiolhares disse...

As coisas comuns…
Para que pensar e viver as coisas comuns
se tens pensamentos tão lindos para saborear
beijinhos

Duarte disse...

Boa fotografia.

A presença da ausência. Por isso só nós, os portugueses, conhecemos essa palavra sem tradução a nenhum idioma, SAUDADE.

Um grande abraço

Vieira Calado disse...

Nós viemos do mar, nascemos do mar.
Por isso o mar nos entende bem.
Cumprimentos.

~pi disse...

aquaticamente





~

Clarinda Galante disse...

E ainda bem que foste ver o mar....ele é o meu respirar...adorei o teu texto e a foto.
Jinhos mil

Só Eu disse...

Porque será que aqui me sinto em casa?
Equilibrio perfeito entre imagem e texto. Sensibilidade apuradissima. Enfim, falas do nosso mar e sentem-se as ondas na minha alma.
Beijinhos

em azul disse...

Como o mar nos entende!

Um beijo
em azul

DE-PROPOSITO disse...

fui ver o mar,
------------
Olhar o mar, ajuda-nos a discernir.
E faz-nos compreender o quanto somos 'pequeninos'.
Fica bem.
E um mundo de felicidades.

poetaeusou . . . disse...

*
o teu,
meu,
o nosso mar,
,
conchinhas,
,
*