quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Quando se sonha



Quando se sonha
e no sonho se voa,
quando as asas das gaivotas
são navios que cruzam oceanos,
quando no azul do mar
se esconde o sol e a luz da lua,
nada mais importa.

Só o sonho transforma tudo,
até o silêncio e a dor
do cerrar de uma porta.


*

9 comentários:

Duarte disse...

Pequena mancha branca
sobre a massa das águas,
voo caprichoso de gaivota,
tremem nela os meus olhos.

Não esqueças andorinha
pássaro de voo infindo...
quando se cerra uma porta
abre-se uma janela...

Beijos

Maria Clarinda disse...

Poema maravilhoso, com uma imagem linda!!!Adorei amanhecer aqui no teu espaço. Jhs

poetaeusou . . . disse...

*
poema da verdade,
em bela imagem,
,
conchinhas deixo,
,
*

Multiolhares disse...

precisamos de sonhar, mesmo para lá dos sonhos
beijinhos

Iana disse...

É a 1ªx :) :) e já me apaixonei pelo carisma como escreves... Parabéns!!!

O mundo dos sonhos, onde por muitas vezes escondemos de nós mesmos o medo.... a lágrima a rolar e a esperança de mais uma vez ver a porta abrir...

Beijos de uma simples Rosa amiga que foi invadindo seu cantinho e amando..

Iana!!!

Só Eu disse...

Por onde tenho andado eu que ainda não tinha vindo aqui???
Tanto mar, tantas praias, tanta beleza.
Estou no teu espaço como estou em casa. Bem!
Parabens e Beijinhos

Baby disse...

"Quando se sonha
E no sonho se voa....

Nada mais importa"!

Beijos.

Carla Silva e Cunha disse...

O máximo!
gostava que fosse a:
arte-e-ponto.blogspot.com

em azul disse...

Perdi a vontade de sonhar!
O mar levou-ma nas suas ondas.
Deixou-me na areia, coberta de espuma, à espera que a maré volte e me devolva um dos meus sonhos.

Um beijo
em azul