segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Descoberta



Descubro-te
em cada letra que escreves.
Adivinho
aquilo que não dizes.
Pressinto
o que não é visível.
Imagino-te.
Através de um mar de letras
prossigo a descoberta,
ouço o eco do pensamento
nas notas de um violino.
Tacteando no escuro
descubro os teus contornos.
Pássaro ou nuvem,
és tu.

* Agosto2002

.

7 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
strdaivarius das palavras,
,
conchinhas
,
*

Maria disse...

Muito bonita esta tua descoberta........

Maria Luar disse...

Lindooooo! Um poema que nos faz sonhar.

Abraço

un dress disse...

podes vestir quem amas de todos os corpos.

de todas as cores...




:) beijO

~pi disse...

e como são fluidos

os contornos da água...

multiolhares disse...

Como é bom conhecer assim

beijinhos
luna

Bloga Comigo disse...

Talvez tenha vindo para ficar se quiseres blogar comigo. Eu quero blogar contigo.
Bjos