domingo, 1 de março de 2009

Noite




Devagar vou voltando a ser eu
como só aqui o sei ser,
ouvindo a música das ondas,
deixando escorregar a noite.

Só aqui te sinto assim,
minha única companhia,
única estrela do meu céu.


*

7 comentários:

Duarte disse...

No silencio duma noite prolongada
chamei ao som das ondas rumor,
para nos albores da madrugada
escutar sussurros de amor.

Se assim es feliz que essa estrela do céu destile para ti uma felicidade plena

Abraço-te com amizade

Adriana disse...

Com uma única estrela podemos fazer uma contelação.

bjs

~pi disse...

estrela em colo de lua

(como vi :)



beijo

poetaeusou . . . disse...

*
aqui ouvi,
a musica das marés,
ecoando em mim,
no céu da tua sensibilidade,
,
bonito post,
,
*

darkinha disse...

A noite e os seus misterios...
Amei rever t beijos

Duarte disse...

Só uma andorinha ou uma gaivota pode fazer-me permanecer quedo na contemplação... além do mar...


Entre canas
silva o vento.
Até gosto!
Deixo-me cair
duna como guarida.
Durmo...
embalado,
ao som da maré.
Nesses caminhos
Intermináveis
guiado
pelo ronco adormecido
desse mar sem fim.
Donde me leva?
Se pudesse caminhar por ele!
Iria mar adentro... até ao fim.

Abraço-te com amizade

Brancamar disse...

Olá Andorinha,

Que linda imagem!
Que belas palavras embaladas pelas ondas do mar! Essa solidão com alguém cá dentro, alguém que o mar sempre nos traz é uma solidão muito bem acompanhada e de grande beleza, mesmo que tenha saudade À mistura.
Lindo!Lindo! Gostei muito.
Beijinhos
Branca